Sexta-feira punk.

Agosto 25, 2007

Não há nada pior do que alunos mimados. Detesto ter a sensação de que preciso agir como se fosse professora de jardim-de-infância para marmanjos universitários. Vão dar duro molecada!!

Enquanto no mestrado as coisas vão de vento em popa, ou seja, dou aulas para profissionais e pessoas que sabem o que querem e entendem muito bem que precisam ler um monte, estudar e trabalhar para as aulas, esses novos alunos da graduação são punk, no pior sentido da palavra…

Se uma coisa eu tenho como princípio de educação, seja como mãe, seja como professora/educadora é que, se você quer aprender algo, você tem que dar duro: no pain, no gain. Que não me venham com conversinha fiada: eu não me comovo facilmente.

16 Respostas to “Sexta-feira punk.”


  1. […] Sexta-feira punk. » This Summary is from an article posted at público&privado on Saturday, August 25, 2007 […]

  2. Luma Says:

    Alguns encaram a responsabilidade conforme a necessidade. É estranho agir assim, mas também é não entender o lugar que se ocupa no mundo. Beijus

  3. Gi Says:

    Cris, tout à fait d´accord!😉


  4. Eu também concordo contigo. Eu me irrito profundamente com essa história. Poxa vida, os caras não querem nada com nada. Não fazem o mínimo esforço, nem quietos eles ficam…
    Punk, entendo exatamente o que vc diz.
    Beijos

  5. JN Says:

    Não sei porquê, mas parece-me que conheço este tipo de conversa😉
    E então quando se dá aulas, como eu, ao primeiro ano ainda é pior.
    Há que ter paciência, enfim.

  6. Ana Lucia Says:

    He he he, Cris se eles já estão assim no começo do semestre imagina no final, quando chegar a hora dos exames e dos trabalhos. É brabo mesmo, mas leve com bom humor. Beijão e bom domingo.

  7. Leila Says:

    Eu tive um professor de filosofia num dos primeiros períodos da faculdade que conseguiu controlar o caos da turma da seguinte maneira: no primeiro mês, deu uma prova dificílima, obrigando todo mundo a consultar trocentos livros, e só quem prestasse bem atenção na aula conseguia passar. Eu não fazia bagunça, achava babaquice desrespeitar o professor naquela idade, mas muita gente ainda agia como se estivesse no primário. Enfim, tirei nota alta nas provas dele, mas a maioria da turma se deu mal, e começou a respeitá-lo mais nos meses seguintes.

  8. cris s Says:

    Luma, Gi e Flávia:

    É uma situação muito chata e às vezes complicada para mim: nem todos os professores agem assim…

    beijos

  9. cris s Says:

    JN,
    Acho que é pior com alunos novos porque eles se assustam com a autonomia que um aluno universitário deve ter. São, em outras palavras, ‘mal-acostumados’… Coitadinhos😉
    Bom domingo!

  10. cris s Says:

    Ana,

    Pois é, foi exatamente que me falaram na instituição: leve com bom humor. O que será que isso quer dizer, exatamente??

    bjs

  11. cris s Says:

    Leila,
    Sabe nem é questão de indisciplina. O problema é que eles querem ‘afago’ e acham que eu sou um pouco distante. Uma chegou a dizer que por conta da minha ‘distância’ ela não consegue entender nem uma palavra da minha aula…

    Aposto que vc fez a tua graduação em uma universidade federal, não? A situação das particulares é bem diferente… As instituições fazem tudo p/ manter os alunos… é um saco.

    bjs

  12. Ana Lucia Says:

    Ai Cris, esse assunto é complicado porque depende do tipo de alvoroço. O bom humor é pra te preservar, mas isso não significa abrir a guarda. Com certas turmas a gente não tem empatia…eu tinha ano passado uma turma de 120 que eu me dava super bem, e uma outra de 28 que eu tinha menos empatia…até o espaço da sala de aula influi. Aqui eles têm medo de nota baixa, porque com nota baixa eles não podem fazer nada depois, vai ser dificil achar emprego, ganhar bolsa, e impossivel de entrar num mestrado… No meu caso às vezes é bem delicado, porque quando você tem um estatuto permanente é uma coisa, qdo seu estatuo é precário é outra…e os estudantes avaliam cada curso, é uma pressão braba…Beijão !

  13. cris s Says:

    Ana, é complicado MESMO. E eu ando chateada com essa história… já me disseram que eu tenho que ‘pegar leve’ e eu entendi muito bem o que isto significa. Eu também não tenho uma situação segura, Ana. Principalmente nessa instituição. E os alunos aqui avaliam também e pelo jeito eu vou tirar uma nota bem baixa. A coisa não é fácil, viu? Melhor dar uma de jardineira mesmo (vide meu post acima).

    beijocas e bom começo de semana!


  14. Ah Cris, eu ia te dizer o que significa “manter o humor”, mas pelo jeito vc entendeu, inclusive que ele é sinônimo de “pegar leve”.
    Beijos

  15. cris s Says:

    Flá,

    É entendi direitinho… Sabe que às vezes é bom a gente ser meio burrinha… a verdade é um pouco complicada. Sério, detestei essa história de pegar leve.

    bjs

  16. Raquel Says:

    Que chato, Cris.

    Talvez fosse o caso de você abrir o jogo com eles, falar que entende a empolgação de deixar a vida de estudante secundário para trás, que faculdade é coisa bacana, festa, namoro, etc, MAS que, enquanto eles não estudam, tem uma penca de gente sugando tudo que pode e mais um pouco nas universidade s Brasil afora e são com essas pessoas que eles vão concorrer no mercado de trabalho, nas provas para mestrado, na vida e – quem sabe aí eles se tocam – até nos papos de botequim.

    E aproveita e diz que eles pagam para estudar e que o curso é ótimo e a faculdade também, mas a mentalidade ainda é de que bom mesmo é aluno da USP, da Unicamp, da UFRJ, etc.

    Tenho certeza que vão te avaliar bem.

    Bjs


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: