Procura-se uma (study) playlist decente.

Setembro 5, 2007

Quando estou preparando as minhas aulas do mestrado, ou seja, quase todos os dias (os outros dias fico preparando as aulas da graduação) eu tento repetir o ritual relativamente bem-sucedido de quando estava concentrada escrevendo a minha tese. Trabalhar num lugar tranqüilo, claro, numa cadeira que seja anatomicamente comfortável, com um chá branco para despertar e um sonzinho maneiro que inspire o sempre árduo e solitário trabalho de escrever. Pois desde que eu defendi a minha tese, não tive tempo de atualizar as minhas playlists, algo extremamente importante para uma pessoa cujo modus operandis é semelhante ao meu: uma playlist adequada ajuda a concentração e o trabalho. Acontece que a playlist que eu tocava todos os santos dias, hora após hora, muitas vezes 14-16 horas por dia, nos últimos meses, me irrita, agora, pro-fun-da-men-te. Não sei como eu consegui escrever a minha tese com aquelas músiquinhas que me soam tão absurdamente chatas agora. São no melhor (ou pior?) estilo New Age / “oriental” / “africana” / instrumental. São músicas que trabalham com ritmos e melodias cíclicas e repetitivos; muitas com sons da natureza. Acho que elas promoviam uma certa hipnose em mim. O meu marido, uma das vítimas do meu surto musical, me contou que ele se questionava como eu podia agüentar as mesmas músicas e os ritmos da minha playlist e confessou que ele acabou por fazer as suas próprias playlists para combater a minha, numa espécie de manobra de sobrevivência. :-) No wonder. As minhas filhas também, obviamente.

Eu preciso encontrar umas novas (study) playlists urgentemente pois a música tem o poder de me sintonizar com o meu trabalho e faz com que eu esqueça dos barulhos do mundo lá fora. Eu moro num lugar muito tranqüilo, mas mesmo assim, o telefone toca, as meninas conversam (alto!), falam ao telefone, recebem amigos, escutam os sonzinhos delas, saem e voltam, etc. Todo o tempo penso na tese que Virginia Woolf defende em Um teto todo seu (A room of one’s own): a mulher precisa ter um “teto todo seu” e uma certa independência para poder escrever, uma verdade inescapável. Não há como desenvolver um trabalho sério acadêmico se você tem vários filhos, tem que dar conta das tarefas domésticas e, ainda por cima, tolerar um marido chato e machista, uma espécie sem previsão de extinção na nossa sociedade patriarcal, infelizmente. Além de eu contar com o serviço de uma faxineira, sou muito grata pela ajuda irrestrita do lado da minha família: todo mundo aqui ajuda. Quando eu posso, cozinho; quando não posso (o que significa a maior parte da semana), o meu marido cozinha ou uma das minhas filhas. Se não fosse por isso, nada daria certo.

music1.png

Mais la mùsique, qu’est-ce qu’elle me manque! 

 Com ou sem música, volto para as palavras do Edward Said. Ainda bem que ele é muito bom porque o dia está lindo e me convidando para uma bela caminhada.

14 Respostas to “Procura-se uma (study) playlist decente.”

  1. cris Says:

    oi, cris. eu não suporto fazer nada com música, talvez só música clássica e prefiro a barroca. qualquer barulho me desconcentra é terrível. imagina, meu marido tem uma enorme coleção de cds, é aficcionado por música e casou-se com um ser com só consegue ler, trabalhar e estudar no silêncio. tadinho. sorte aí na sua playlist.

    off-topic: vou te mandar um email porque não consegui terminar de preparar aquele artigo a tempo. A fonética está acabando comigo, hehe. quem sabe eu te mando e fica pra comissão editorial apreciar para uma próxima edição. tô muito ‘apertada de costura’, mas vou te mandar um email, tá? bjs

  2. bellavida Says:

    Cris, vc j;a tentou estação de rádio pela internet? Por anos eu ouvi uma de música clássica mas foi comprada por um time de football… Me ajudava demais a trabalhar. Agora que trabalho de casa e faço tudo além de cuidar do meu filho de 3 anos, eu nem conseguiria escutar rádio, playlist ou qualquer outra coisa…

    bjs

  3. regina Says:

    Oi Cris,

    Eu tb adoro fazer as coisas ouvindo musica, principalmente escrever e dirigir. Como voce sabe, eu adoro musica e ouco de tudo.

    Se voce quiser eu posso dar algumas sugestoes. What are you in a mood for? Voce ja ouviu um cd de Yo Yo Ma tocando musicas brasileiras? E’ muito lindo.

    By the way, quanto tempo o seu marido vai ficar na California? Se der tempo, de repente eu posso gravar um cd com algumas das minhas coisas favoritas para voce.

    PS: Deixei os meus votos (ainda que atrasados) para a Maria Luiza ai embaixo. Diga a ela que mando lembrancas.

    Beijos,

    Regina

  4. cris s Says:

    Cris,
    Eu amo estudar com música. Não gosto de música ‘barulhenta’, curto clássica, instrumental, new age, world music. Aliás gosto de quase todo tipo de música. E adoro dormir c/ música, se for um estilo relaxante, adormeço mais fácil.

    Sobre o teu artigo: já respondi lá no teu blog. Não esquenta!

    bjs

  5. cris s Says:

    Isabella,
    É uma ótima idéia, só que eu não tenho speakers bons p.q. uso laptop…😦
    Qto à cuidar do teu fofinho de 3 anos, bota umas músiquinhas legais que vc e ele curtirão muito mais. Lembrei que a minha filha mais velha adorava adormecer c/ música clássica!! Ela é super eclética e adora as minhas músicas.
    bjs

  6. cris s Says:

    Regina,

    Que bom q vc comentou e já me deu uma dica boa. Eu gosto muito de uma gravadora New Age californiana q vc, com certeza, conhece: a Windham Hill, que eu descobri há mto tempo!! Tenho vários cds deles.

    Olha, eu sou muito eclética p/ música, mas, como vc sabe, tenho buscado conhecer música do mundo mais e mais. Quando estou estudando/me concentrando, curto algo ‘non-obtrusive’, com uma melodia inspirada e um instrumental ‘afinado’, tendendo p/ o ‘clássico’. Gosto também de música que brinque c/ sons ‘orientais’. Eu não sou uma fã da Ennya, por exemplo, só p/ te dar uma idéia. E a voz muito melosa da Bebel Gilberto não entra no meu projeto de estudo, ainda que possa curtí-la em outros momentos.

    Eu amo fazer tudo com música, Regina. A música certa dá o tom certo prás coisas! Muito obrigada por oferecer de gravar um CD para mim!! Tenho certeza que iria amar, mas acho que o Bill não teria tempo de passar em Berkeley.😦

    Quem sabe vc me dá umas dicas e eu encomendo alguns CDs na Amazon?? Vou dar uma fuçadinha na Yo Yo Ma!!

    Thanks for caring!

    beijos

  7. bellavida Says:

    Oi Cris, os meus speakers que vieram tanto no meu laptop como no meu computdor do escritório são os originais e dá pra ouvir bem. Talvez não com tanta qualidade…
    O Nicolas gosta muito de música e quando estamos no quarto dele escutamos CDs de música infantil brasileira ou francesa (meu marido é francês). Tb tenho ensinado algumas musiquinhas em inglês já que ele ainda não ai pra escola. Pra ele não ficar muito alienado… afinal, ele é americano tb.

    bisou

  8. cris s Says:

    Isabella,
    Então o teu fofinho é um “Petit Nicolas”?? Que língua vcs falam em casa? Que legal q vc toca músicas francesas, brasileiras e americanas para ele: criança pode ser trilingue sem problemas, é só ter força de vontade e perseverança. A Regina que o diga!! As minhas meninas são bilíngues p.q. falamos inglês em casa. Mas comigo elas falam português.

    bises

  9. cris s Says:

    Regina,
    Se vc passar por aqui… que coisa mais linda é o “Carinhoso” aos olhos de Yo Yo Ma, hein? Encontrei no iTunes – vou pedir p/ o Bill comprar para mim. Obrigada pela dica.
    bjs

  10. Ana Lucia Says:

    Cris eu nao costumo trabalhar com musica de fundo, perco a concentraçao, com algumas exceçoes pra musica classica, tem um disco do Glenn Gould (Golberg Variations) tocando Bach que uma época eu ouvia direto e também a trilha sonora da Lista de Schindler, mas hoje em dia nao ouço mais pra trabalhar. Se você nao puder baixar, me avisa que eu te mando.
    Ouço musica num ipod pra me locomover na cidade, e agora nas viagens, tem de tudo, e me ajuda a dormir no onibus e no trem 🙂
    Beijao

  11. cris s Says:

    Ana,
    A música ‘certa’ me ajuda muito, a ‘errada’ me irrita e atrapalha a minha concentração. Mas nem sempre eu posso me dar ao luxo de trabalhar como eu quero, muitas vezes as meninas estão perto e eu me obrigo a ‘switch off’ porque senão nada funciona. Eu adoro Bach e vou procurar o Glenn Gould, que me soa super conhecido. Tô tentando lembrar da trilha da Lista de Schindler. Vou clicar na Amazon e ver o que eu encontro? Eu adoro a trilha sonora de The Mission que vc deve conhecer.

    Eu adoro caminhar escutando música. Aliás, já ‘li’ alguns audio books caminhando!

    Beijocas

  12. regina Says:

    Cris,

    Quem bom que vc gostou! O cd chama-se Obrigado Brazil. Se o Bill nao encontrar eu posso te fazer uma copia. Eu acho que quem escreveu a trilha sonora do The Mission foi Enio Morricone. Yo-Yo Ma gravou um cd com musicas do Enio Morricone. Ele tambem fez um com a musica do Piazzola que e’ um arraso.

    Yo-Yo Ma tb interpreta Bach lindamente.

    Beijos e boa segunda.

    Regina

  13. cris s Says:

    Regina,
    Foi uma super dica!! E vc nem sabe a maior… estava voltando p/ casa escutando uma rádio ‘alternativa’ e adivinha a quem o programa era dedicado?? A Yo Yo Ma!! Vim p/ casa dirigindo devagar p/ curtir a música. Eu gostei muito mesmo. Eu fiz uma pesquisa nos sites brasileiros e a maioria tem pelo menos 1 CD dele. Veja como eu estou desatualizada!! Vou ver se encontro esse que ele interpreta Bach.
    Bjs e boa semana p/ vc!
    Cris
    P.S. O Bill disse q vai te ligar!!🙂

  14. Brazuka Says:

    A voz da Bebel Gilberto me irrita!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: