Archive for Fevereiro, 2008

O melhor lugar do mundo é aqui e agora?

Fevereiro 23, 2008

Gilberto Gil que me perdoe, mas eu acho que muitas vezes ele é cabeça demais para a minha cabeça. O princípio do melhor lugar do mundo ser aqui é lindo, mas altamente utópico. Às vezes o melhor lugar do mundo nem é aqui, nem agora. Às vezes, o melhor lugar do mundo não é agora porque não é aqui. O melhor lugar do mundo, pra mim, seria a Tailândia. E agora. Tá, poderia também ser amanhã e depois.

 thai_wish.png

Detalhe do Templo Wat Phra Kaew no Grand Palace

É óbvio que devemos tentar ser felizes onde estamos; aliás este é um pensamento tipicamente budista. Mas eu não sou budista (tenho muito a aprender!) e confesso que não parei de pensar na Tailândia desde que saí de lá. A sensação contínua é que preciso voltar, que preciso conhecer mais, que preciso dar um jeito de aprender mais alguns pratos tailandêses, que tenho que voltar a escutar e conhecer mais a música, e tentar vivenciar com uma certa profundidade alguns aspectos do budismo, conversar mais com as pessoas e conhecer lugares onde não estive. E quero sentir mais, muito mais, o cheiro de capim limão, de jasmim, de ylang ylang e de incenso. E aprender os nomes de todas as frutas que eu comi e provar aquelas que eu ainda não conheci. E quero tentar ser mais desprendida e sorrir mais aberta e generosamente, como eles sorriem. 

Desde adolescente sou fascinada por vários aspectos do Oriente. A Tailândia abriu as portas da Ásia para mim de uma forma transformadora. Se para alguns essa afirmação pode soar inocente e brega, quem sabe, então, eu seja a quintessência do brega. Who cares. Agora inocente –acredite caro leitor –quem dera.

Anúncios

Serviços & Sumiços.

Fevereiro 18, 2008

Tenho estado meio sumida do blog, mas não é descaso: o trabalho começou a todo vapor e eu, pela primeira vez na vida, tenho conciliado trabalho fora de casa com o doméstico. E, finalmente, acabo por entender o funcionamento de uma casa. Na cozinha, os cafés-da-manhã, os almoços, os lanches da tarde e os jantares — temos fome o tempo todo, notaram? Na lavanderia, o fluxo ininterrupto de roupas: separe as coloridas, as pretas e escuras e as brancas; guarde as limpas porque dali um pouco já estarão de volta, sujas. A limpeza: varrer, tirar pó, aspirar, esfregar, esfregar até dizer chega. É realmente um trabalho ingrato. No entanto, admito que gostei de ser obrigada a criar uma rotina que acomodasse as duas coisas. Sem falar no companheirismo das meninas, que nunca se negam a ajudar. Durante o carnaval, desenterrei alguns livros de culinária — além de contar com a ajuda de blogs feríssimos — e cozinhamos refeições gostosas e saudáveis. Enquanto preparávamos os pratos, conversamos e nos divertimos muito. Mas não pense que eu me converti em dona-de-casa perfeita (que termo idiossincrático!), nada disso. Além de não ter a competência necessária, tenho um defeito horrível: sou muito perfeccionista. Se eu morasse em um país que facilitasse o serviço doméstico, seria tudo mais fácil. Imagino que o mercado brasileiro não tenha motivação para sofisticar os produtos domésticos porque não há demanda suficiente: as classes média e alta continuam contando com a ajuda de empregadas domésticas. Estas, há anos, ganharam todos os benefícios de trabalhadores, ainda que seja notório o abuso dos seus serviços. No momento, estou procurando uma faxineira que me ajude a ter uma vida menos enlouquecida. O serviço de uma faxineira, para mim, não preciso falar (mas sabe como é que é…), é algo precioso e valoroso. E então, somente então, talvez eu possa voltar a escrever algo decente aqui e alhures. Agora tenho que ir porque já é hora do jantar. Não disse que nunca, nunca pára?

vassoura.png

Imagem: Google Image.

Receitinha rápida de sorbet de morango e mirtilhos!

Fevereiro 10, 2008

Desde que cheguei de viagem, tenho estado super ocupada com a minha casa. Não, nem são as minhas flores, estas até andam esquecidas e merecerão um post logo. É que a minha faxineira se despediu e eu ando tentando conciliar tudo. Obviamente, o que dá mais trabalho é sempre a cozinha, ainda mais porque eu sou a rainha das chatas com comidas. Quero fazer absolutamente tudo fresco e saudável e gostoso e rápido — tarefa impossível. De qualquer maneira, uma leitura constante tem sido a de blogs de culinária, sendo que o blog da Fer, lá da Califórnia, é o favorito. Foi lá que me deu vontade de resuscitar a minha sorveteira e fazer sorvetes, principalmente, sorbets deliciosos. Sabem como se usa uma ice cream maker, né? Você põe pra congelar o cilindro durante a noite e coloca a mistura do sorvete ou sorbet para bater durante uns 20-5 minutos. Só isso? Só! E não é incrível? Depois de 25 minutinhos você tem um sorbet maravilhoso prontinho pra você e sua família. Receita? Vou dar a que eu fiz hoje e ficou simplesmente dos-deuses, acredite.  Olhe que ridículo de fácil.

Sorbet de morango com mirtilhos. (para 4-5 pessoas)

2 cxs de morango batidas no liquidificador com o suco de uma laranja e açucar a gosto. Joga na sorveteira (previamente gelada à noite) e bate durante 25 minutos com os mirtilhos (pode por os mirtilhos no final). E….. pronto!

Eu queria ter tirado fotos, mas tava tão gostoso que eu só sosseguei quando o sorbet acabou. Amanhã eu vou fazer o de manga com cardamomo, receita da Fer (Chucrute com Salsicha).