Por quê?

Abril 12, 2008

Por que há apenas mulheres inscritas em um curso que discute a mulher? Já notaram como a maioria dos homens detesta discutir a mulher? Como, no geral, homens ficam incomodados em falar sobre o patriarcado, sobre a violência e sobre a exploração da mulher? E por que diabos esse desconforto que vejo em várias mulheres, repito, em várias mulheres (inclusive nas universidades), em discutir a sua própria história e conhecer melhor o seu lugar no mundo? As resignadas e as que vivem em denial alegam que já conquistaram o que tinham que conquistar. Há também as eternas culpadas que afirmam que é por conta “dessas coisas” que a família está se desintegrando, que os divórcios só fazem crescer. Essa culpa perene é resquício do mito de Eva… Há uns quatro anos, em um Congresso de Estudos Literários, eu dei uma palestra sobre a sexualidade feminina na comédia hollywoodiana dos anos cinqüenta e a discussão das alunas descambou para a maternidade. Várias falaram que se sentiam culpadas por não poderem ser boas mães porque tinham que trabalhar. Para elas, que vantagens haviam em ter conseguido “toda essa liberdade”? Eu mal pude acreditar no que aconteceu — discutir a sexualidade aflorou uma culpa danada em algumas mulheres…

E eu digo ora bolas. Que venham conhecer a sua história. Que venham saber dos números da violência. Os estupros. As mortes. A discriminação. Vamos estudar as lacunas da mulher na literatura e nas artes. Vamos recuperar alguns textos e tentar entender os seus silêncios. É só assim que podemos entender o nosso lugar no mundo. E sermos mais completas.

 Woman With Arms Crossed (Picasso)

3 Respostas to “Por quê?”

  1. Luli Says:

    Não é sobre o seu texto, deculpa!
    Mas é um video lindo que sempre me ajuda!

    Eu te amo, brigada por sempre me ajudar

  2. Ana Paula Says:

    Oi, Cris!
    Interessante você abordar este assunto porque tenho pensado muito sobre esta questão. Estive em uma reunião de partido na semana passada onde estavam se formando grupos temáticos para elaboração do plano de governo. Um deles era “Mulher e gênero” e a coordenadora acabou excluindo os homens dizendo que o grupo de mulheres do partido (que já existe) iria se ocupar deste assunto, inclusive as reuniões aconteceriam e local e horário costumeiro.
    Em outra reunião já havia ouvido que o candidato queria contar com as mulheres para “embelezar a cidade, encher de flores”.
    Não só os homens limitam a mulher mas também as próprias.
    Desculpe pela extensão do post, mas estou meio que indignada até hoje.
    Quase nunca tenho tempo para comentar, em compensação quando faço…

    Beijo

  3. cris s Says:

    Ana Paula,
    Pois é, este tipo de ‘guetização’, espécie de clube da luluzinha, provoca essas exclusões. Eu não acho que somente a mulher pode falar pela mulher. Acho que a mulher fala de um Outro lugar, mas o homem também pode lutar pela causa da mulher.
    É tudo muito complicado, eu entendo o porquê de muitas mulheres adotarem certas posturas, elas estão respondendo à cultura dominante e acabam por perpetuar a voz patriarcal….

    Obrigada pelo comentário!
    bjs


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: