Flores e lero-lero

Julho 13, 2008

O nosso inverno este ano tem sido hiper ameno. Quase todo dia faz sol e as plantas naturalmente pensam que é a primavera. O resultado é que tudo está brotando e o que era pra dar pinta só em setembro já está aparecendo agora, em julho. Uma loucura mesmo. O azul anil do céu tem estado espetacular, como dá pra ver abaixo:

Tanta loucura que apronto com os meus canteiros que acabei sucumbindo para uma coisa mais normal, a conselho do jardineiro. O negócio é que eu curto mesmo misturar plantas e flores de tamanhos e cores diferentes, mas é difícil porque sempre uma planta prevalece e mata as outras. O resultado pode ser um desastre, mas quando dá certo fica muito legal. O fato é que eu ando sem tempo, sem dinheiro e sem saco, então segui de bom grado o conselho do seu Manoel e plantei dois canteiros de amor-perfeito com flor de mel nas bordas. Para ser honesta não gostei muito porque está tudo muito certinho para o meu gosto. As flores são super coloridas e tal mas umas margaridinhas selvagens me apetecem muito mais.

Por outro lado, estou ansiosíssima com as orquídeas. Depois de um ano, quase sempre esqueço suas cores, o que é ótimo pois as belezas me surpreendem sempre. Aliás, na falta das lavandas, minhas all-time-favorite, as orquídeas têm sido as flores da vez. Elas nunca falham, sempre tem uma dando sopa e seus vasos fazem arranjos lindos.

Mais uma cheia de botões. Daqui umas duas semanas e elas estarão com flores lindas.

A bromélia aqui de baixo me surpreendeu porque depois de tê-la transplantado da casa velha, oito anos atrás, ela inventou de florescer agora. Eu plantei a bromélia em baixo de uma palmeira e achei o máximo quando a encontrei há duas semanas. Ela dura uns 2-3 meses e depois só Deus sabe quando ela volta.

Mas é o seguinte: ando realmente entediada com muita coisa. Com o meu julho que deveria ter sido uma coisa e foi outra, com a blogosfera e com umas outras coisinhas. Ando achando esse blog meu muito chato, muito controladinho pro meu gosto. Eu não me importo que ninguém comente ou que pouca gente leia o que escrevo, não se trata disso. Porque na verdade não tenho absolutamente nenhuma aspiração a ser uma grande blogueira, sai daí meu. Primeiro que eu não tenho o menor tempo pra isso, segundo que eu fico boba com as idiotices que eu leio por aí, com a falta de informação e conhecimento e isso — para mim — é bem complicado. Eu não tenho absolutamente interesse nenhum de demonstrar minhas abilidades acadêmicas aqui e não fico contando o que eu fiz e o que não fiz, de uma maneira ostensiva. Fico impressionada com a necessidade que muitas pessoas têm de se mostrar tanto e de passar doutrinas baratas do que deve ou não ser feito. Socorro! Acho abominável, por exemplo, perceber que, o simples fato de morar no exterior garante, para algumas pessoas, o direito de criticar “o(a) brasileiro(a)”, como se a pessoa fosse melhor ou tivesse aprendido mais (já que entrou em contato com o primeiro mundo…). Ora, antes de tudo, aprendam inglês bem, assimilem e entendam a complexidade da cultura do país onde vivem e procurem saber mais sobre as diversidades do Brasil… Desculpem o desabafo, mas há tempos queria falar isso. O que eu curto mesmo é quando encontro um papo descompromissado, opiniões sólidas sem pretensões descomunais e uma troca de idéias sem preconceito. É claro que todos escrevemos, vez por outra, textos rapidamente, afinal trata-se apenas de um blog. Mas um blog não deveria ser um lugar para vender filosofias baratas como se fosse a verdade absoluta e também não deveria ser lugar de afirmação de egos inflados.  Enfim, pra matar o tédio, fui tirar algumas fotos aqui pertinho de casa ontem. Essa foto é do Bosque Alemão e eu gostei bastante:

É isso. Boa semana!

16 Respostas to “Flores e lero-lero”

  1. Ana Says:

    Cris tô encantada com as tuas flores ! Tudo muito lindo, eu amo orquideas e adoro amor-perfeito, nao gosto de flores muito certinhas como a tulipa por exemplo🙂 Eu nao tenho mao pra flor, a minha mae tem. Obviamente que isso se deve também ao fato que ela mora numa casa…se eu ficasse mais tempo nesse apê eu investiria em plantas, porque tem um “solarium” (vulgo “estufa” ou varanda fechada que aquece no inverno e no verao torra…), mas vamos nos mandar aqui em breve…

    A blogosfera torra também, jesuis e olha que eu fico com o bico fechado a maior parte do tempo pra nao me incomodar e arrumar mais inimigos dos que eu jah tenho. E hora dessas quando tiver saco e tempo, me escreve contando as novidades

    beijocas e boa segunda

  2. Cris S. Says:

    Ana,
    Que bom que você gostou das flores! Para mim é incrível ver como elas florescem, apesar da minha negligência e ignorância. A bromélia foi inventar de florescer depois de oito anos, não é incrível? Ana, se você plantasse na estufa, teria praticamente o que quisesse. Eu tenho um jardim de inverno que é basicamente uma estufa e as flores adoram.

    Quanto à blogosfera, pois é, o negócio é BEM complicada e eu ando um pouco cansada de algumas coisas. Eu não fico hostilizando ninguém, mas também não admiro nem um pouco algumas coisas que vejo por aí…

    Vou te escrever sim! Assim dá pra falar mais longamente.

    beijocas

  3. Gi Says:

    Saudades do jardim do João e Maria.. Hansel und Gretel.. ;-)) Saudades de Curitiba.

    Compartilho dos teus pensamentos, Cris. Falando em internet: escrever acabou rendendo frutos pra Clara Aberbuck; virou até filme do Murilo Salles. Até vi o trailer outro dia e não imaginava que era baseado no blog dela, que ele comprou os direitos. SAiu na “Revista” no domingo, do Globo. Nem lia muito o” espaço internético”, mas achei interessante isso acontecer. Sorte pra moça! Se eu tinha alguma ambição por aqui era só essa mesmo, até porque a desculpa de ter algo pessoal acabou desvirtuando o que eu queria mesmo desde o início: só escrever.

    Cris, as coisas ficaram tão complicadas e ao mesmo tempo boas (decepções, mas vêm pessoas boas na nossa vida), diferentes depois da morte do meu pai que, enfim, nem sei como dizer: mas meu tempo era outro. Ele até sofria com isso. Agora é preciso preservar tudo e viver cada hora. Acho que cada um é cada um mesmo. Também fico me perguntando algumas coisas, não concordo com algumas atitudes que vejo por aí, mas sabe.. é tudo uma questão de valor, de ser feliz onde se está.

    Concordo plenamente sobre a questão de “enxergar nossas diversidades’, principalmente eu aqui no Rio tentando não cair sempre na esparrela da comparação com o “primeiro mundo”.

    Flores: sou com a Ana. Se tivesse uma casa, teria até gato. ;-)))

  4. bellavida Says:

    Oi Cris, suas flores estão lindas!

    Esse ano investi numas Marias de um bom horto e depois de muuuita chuva, elas estão lindas, super coloridas!

    Esse papo de primeiro mundo é tão ontem… Aqui nos EUA tá todo mundo escandalizado com o preço da gasolina, da casa própria e com a inflação. Obama até falou em indexação, imagine você! Nós que já vimos esse filme tantas vezes…

    Eu aprendi a ter respeito pelas pessoas, sabe? Mas não fico de bajulação com ninguém.

    Desopilar faz parte! Eu rio bastante – é o meu remédio, além de blogar sem compromisso ; )

    bjs

  5. Laura Says:

    Vc é delicada, tem jardim lindo e sensibilidade à flor da pele.
    Tb me desaponto mto aqui no virtual e aqui fora, ando triste, sem amigos…
    mas agradeço os filhos que tenho, fico menos só por eles.
    Olhe aqui
    http://www.technicolorkitchen.blogspot.com/
    lembrei de vc.
    Bjs Laura

  6. Cris S. Says:

    Gi,
    Que bom q escrever um blog rendeu algo para alguém. Já ouvi falar de algumas blogueiras que publicaram livros também, o que nunca será o meu caso, nem preciso falar, hehe.
    Você tem razão em valorizar cada um pelo que cada um é. Eu tenho um senso crítico bem acirrado, Gi, e às vezes não consigo aceitar certas coisas tão bem. Eu até tolero bastante coisa, mas chega um ponto que a coisa me irrita muito.
    Pois é, ter casa é muito legal, mas dá o maior trabalhão. As flores crescem a despeito de mim, haha.
    No mais, o que você anda fazendo??

    bjs

  7. Cris S. Says:

    Isabella,

    que flores são as “marias”? fiquei curiosa

    Quanto ao papo “primeiro mundo”: concordo que já era mesmo, só que muita gente não o discernimento e experiência que você tem… e aí é complicado, não?🙂
    Você faz muito bem em não bajular ninguém! Eu também sou assim, acho. E outra coisa, acho o nome do teu blog tudo a ver com o que a gente tá falando: TEM QUEM GOSTE!! hehe!

    beijocas

  8. Laura Says:

    Ué, eu tinha escrito aqui!
    ou não foi?
    disse que vc é delicada como as flores e sensível tb.
    Qto ao mundo virtual, ando meio triste, mtos amigos sumiram.
    Enfim, c’est la vie
    Bjs Laura

  9. Gi Says:

    Cris, também sou hipercrítica, mas deve ser porque no caso do ascendente é menos que no signo solar em Virgem. ;-)) As coisas que me aconteceram na vida e o meu cotidiano me provaram que em certas horas eu deveria gastar menos energia com quem não merecia. E haja porrada e cabeçada de ariana.. ;-))) Poxa, é muito complicado pra mim. Pra não criticar, eu sumo e desprezo. Porque a crítica é sinal de que queremos estar com a pessoa, e isso é bom também. Acho que podemos criticar e aceitar ao mesmo tempo. De certa forma e por outro lado, quem não sabe escutar críticas e só deseja elogios tem algum problema também.

    Falei mais na questão de “perder tempo com alguém”, seja amigo, ou “relação amorosa desgastante’, internet, etc. Antigamente eu era assim; agora com tantas coisas pra fazer pensar e resolver, não me sobra tempo _ graças a Deus _ pra encher minha cabeça. Olha que eu tenho tendência a ficar esgotadíssima, sugada até e por gente que me faz mal.

    Quanto a mim; ultimamente ando me virando em mil, dando aulas particulares de francês e português pra estrangeiros (prefiro essa) e prestei serviço para o MDF – Médecins Sans Frontières, mas tem horas que não pinta nada. E estou naquele outro processo, quase “findo” pos-mortem.. Tô louca pra que tudo isso acabe e que eu não tenha mais nenhum contato com uma certa pessoa! Beijos

  10. Gi Says:

    Me manda um e-mail que eu vou te enviar a foto da tal flor! Tirei faz tempo, com web-cam e ficou guardada. Queria te mostrar pra ver se você sabe o nome.

  11. cris s Says:

    Laura,

    Acho que a gente tem que aprender a ser meio fria e distante porque a grande maioria das pessoas não se apega mesmo e o mundo virtual é uma coisa muito esquisita, você não acha?

    bjs

  12. cris s Says:

    Gi,
    Que máximo que você está trabalhando, sendo útil e fazendo uma graninha (o que é sempre bem vindo). O teu francês é excelente e vc tem mais é que usá-lo. Dar aulas de português p/ estrangeiros pode ser ótimo porque vc já aproveita e conhece alguns grigos legais, hehe.

    Quanto a ser crítica, pois é, no meu caso, não adianta mesmo, eu tento melhorar e fechar os olhos, mas na maioria das vezes não dá. Eu sou até bem tolerante, mas o senso crítico é algo inerente à minha pessoa. Fazer o que? Me enforcar? Jamais de la vie! hehe

    Gi, o meu email é aquele que vc deve ter, mas envio novamente, en tout cas:
    crisbusato3@hotmail.com
    Manda a flor, vamos ver se eu conheço a bichinha!

    beijocas

  13. Raquel Says:

    Cris,

    suas flores estão cada vez mais liiiiindas. Lindíssimo o vazo azul com a segunda orquídea. Adoro orquídeas, que eram as flores favoritas do meu pai.

    Acredito que a Isabella estava se referindoà Maria-sem-vergonha, que é como aqui no Rio a gente chama aquelas flores coloridinhas de quatro pétalas, parecidas com beijo, que dão em lugares com muita água e sombra.

    Ah, a blogsfera. Cansa, né? Mas é mais barato que terapia.😉 E nada de fechar os olhos, afinal, aborrecimentos e sapos demais deixam a gente doente.

    Tenho que te enviar um email, estu um pouquinho atoladinha, mas já vai!

    Bjs bjs

  14. Gi Says:

    Pas plus de “gringo” dans ma vie. Só se for “gringo-brasilerô”, no máximo nascido lá.
    ;-))) E agora eu estou bem disso, graças a Deus. Nada é perfeito, mas como eu estava, ninguém merece! ;-0

    Cris, quanto a”fazer a grana” é que é o difícil, porque o custo de vida aqui no Brasil é altíssimo, vc sabe. Meus padrões também muitas vezes são altos em algumas coisas, mas acostumei com o “bas fond” de uma certa forma pra não “pirar na batatinha”, usando a gíria da minha adolescência. Vou mandar o e-mail com a foto da flor.

    ps: meu francês não é excelente; de zero a dez, coloquemos um 7,5, muito por conta da parte que uma não-nativa talvez nunca tenha, salvo pelas cantigas da minha avó, q muitas vezes nem francês conhece. Bjs e deu água na boca esse doce aí em cima. Não conheço, mas fiquei imaginando os morangos. Hummm…

  15. Cris S. Says:

    Raquel,
    Que bom que você gosta das minhas flores. Eu adoro vasos, também! Tenho uns bem furrecas, mas se pudesse todos seriam lindos.

    Quanto às flores da Isabella, são as marias-sem-vergonha? Acho que sei sim, aqui chamamos de beijos (crescem por todo lado).

    A blogosfera tem seus lados legais, claro. É que às vezes tem cada coisa por aí, não? Mas faz parte, faz parte!

    beijocas

  16. Cris S. Says:

    Gi,

    Guentaí que eu já te escrevo. A florzinha é muito LINDA!

    bjs


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: