estilo

Abril 19, 2009

Uma dada época, quando eu era bem jovem, diziam que eu usava um uniforme. Calça jeans lavada e camiseta branca. O diferencial vinha principalmente com a bolsa de grife, usada meio displicentemente. Os cabelos eram longos e lisos e os acessórios eram discretos e clássicos, geralmente um par de brincos de pérola. Achava aquilo o fino da bossa. Quando ia estudar na universidade, substituia a camiseta branca por uma do mickey, cinza. Os pés eram adornados por um keds branco ou um par de tênis. Aparte o preço alto da bolsa, o resto era comum, básico e talvez previsível. No resto, só usava água termal no rosto e o filtro solar só aparecia quando eu ficava vermelha do sol. De maquiagem, de vez em quando, usava rímel, talvez um traço de delineador para enfatizar os olhos e, às vezes, algum brilho insípido nos lábios. Digamos que eu era uma pessoa “clean” e me achava legal assim. No entanto, de um dia para o outro você acorda e vê que o uniforme d’outrora não funciona mais, que a cara lavada dá vontade de fugir e que o nem o keds branco e muito menos a camiseta do mikey têm a ver com você se tornara.   Hoje em dia procuro o meu estilo e tento être bien dans ma peau, como os franceses dizem, mas ainda é difícil saber o que me tornei, ao meio de tantas mudanças esperadas e inesperadas. Hippie chic? Eclética? Clássica? Clean? O fato é que cara lavada não dá mais e nem camiseta branca como pièce de résistance dá mais, nem o keds (ui cruz credo!) dá mais. Só mesmo a bolsa de grife e os brincos de perola são o que me sobreviveram daquele tempo imemorável. Maquiagem é uma arte que estou, aos trancos e barrancos, aprendendo e, usando as certas e dominando a arte da aplicação, traços bonitos são enfatizados e imperfeições podem ser minimizadas. Como tenho dito aqui, tenho me divertido bastante aprendendo truques e percebendo que a luz (e a falta dela) é o lance principal. Mas, como tudo mais no que diz respeito a estilo, abusou, pagou. Ou seja, ser discreto é tudo. Se eu não seu qual é o meu estilo, pelo menos sei que estilo eu não sou: perua!

eileenfisher

Amo tudo que é da Eileen Fisher, a textura natural dos tecidos, o algodão orgânico, o toque natural do linho. Adoro a sofisticação do corte, a simplicidade.  O vestido ao lado sou eu! Acho que este seria o meu estilo, não fosse o preço alto.

12 Respostas to “estilo”

  1. mi Says:

    pois é a eileen fischer tem coisas bem bonitas…

  2. Leila Says:

    Eu tambem estou passando pela mesma fase, tendo que renovar o guarda-roupa e os cosmeticos. Uma estilista que eu gosto bastante e’ a Tory Burch, mas tambem nao tenho dinheiro para comprar as roupas dela (apesar de nao ser dos precos mais absurdos que voce encontra por aqui). Mas 100 dolares por uma sandalia de dedo ou 400 por uma blusa eu nao pago.


  3. Cris, tbm adoro o estilo da Eileen Fisher, mas as roupas sao mesmo um pouco caras. Eu queria mesmo era deixar meus cabelos brancos, assim como a dessa moça da foto, mas ja saquei que nunca vou ter a cabeça toda branca, vou ter sempre fios, o que eu acho uma chatice.
    Eu realmente nunca tive estilo nenhum e continuo nao tendo. Sou tao ecletica que acho que meu guarda-roupa parece guarda-roupa de palhaço de circo… Queria ter um estilo, mas acho que vou morrer assim, confusa!

    beijoo!


  4. Adoro o cabelo dela. Continuo sem pintar o meu, mas os fios brancos são pouquíssimos, acho que gostaria de ter uma cabeleira como a dela. Também adoro o vestido, aqui tem uns modelitos desses, tingidos manualmente, maravilhosos, mas caríssimos, queria aprender a fazer, eu mesma, não deve ser difícil.

    E nós duas, definitivamente, não brigaríamos por causa de uma bolsa 🙂

    Bjs!

  5. Raquel Says:

    Cris,

    você acredita que eu nunca tive um Keds?

    Acho esse processo a coisa mais normal do mundo, infelizmente gloss, cabelo au naturel e narizinho queimado de sol só dão certo até determinda época. Me enfiei em outra pós (deveria ter tomar vergonha na cara e fazer um mestrado) e vou à PUC três vezes por semana. Me sinto tãããoa veinha perto daquela meninada de cara lavada e linda de 20 anos hahahaha.

    Maquiagem é prática. Tem uma penca de blogs e sites cheios de macetes legais, depois faço uma compilação para você. No You Tube também tem muiiiita coisa bacana.

    Vou ser a velhinha mais montada da história, ho ho ho.

    Bjs bjs

  6. mi Says:

    olha só, recebi esse catálogo ontem e lembrei dese seu post:

    http://www.sundancecatalog.com

    tem cada coisa linda…

    bjos!

  7. cris s Says:

    Mi,
    Dei uma olhada no catálogo da sundance e gostei bastante das roupas. A proposta deles também é de tecidos naturais, né? Com certeza é uma tendência bem forte. Eu nunca tinha visto nada deles, mas achei bem legal.
    bjs

    Leila,
    Não conheço a Tory Burch ainda, ela é da Califórnia? Engraçada esta fase, é como se o que você era não desse mais certo e você tem que se redescobrir (com as tais das mudanças…).
    bjs

    Fer,
    Eu gosto da Eileen Fisher já faz um bom tempo. Também acho o cabelo branco da modelo ultra charmoso. Se eu deixasse o meu natural, tenho a impressão que ele chegaria a este ponto, mas eu tenho medo e vergonha, sei lá. Quem sabe mais tarde eu assuma os brancos, agora é muito choque!!
    bjs

  8. cris s Says:

    Denise,
    Os meus cabelos, como falei para a Fer acima, talvez já “dessem samba”, mas eu não tenho coragem. Pinto a cada mês e é um saco, mas não adianta. Além do mais, cada coisa vem a seu tempo e eu sempre tive cabelos castanhos e de repente assumir os brancos é muita coisa.

    Quanto ao vestido, não é lindão? É um linho tratado e tingido manualmente também. Mas é muito, muito caro.

    Que bom que você aparentemente passou impune às grifes!! Eu amo bolsas e há muito tempo sempre tenho uma legal de grife que dura anos. Depois que ela está acabadinha, troco por outra!
    bjs

  9. cris s Says:

    Raquel,

    Cara lavada, não dá mais mesmo!! Nada como uns truquezinhos para ajudar a amenizar a parada.
    Aliás, dá um trabalho cuidar da pele, do cabelo e do corpitcho… tudo fica mais difícil, mas sempre vale o investimento. Tem umas amigas da minha idade que estão acabadas… (mas cada um na sua, afinal a prioridade pode ser outra).

    Que pós você está fazendo? Algo ligado à literatura? Não liga pro povo, aposto que você dá de dez a zero na meninada jovem! E dá-lhe smashbox primer hehe!

    De vez em quando eu vejo algum tutorial legal no youtube. Se você souber de algum muito, muito legal, me avisa!!🙂
    bjs e bom feriado!

  10. Anna Jailma Says:

    Ainda não tinha passado por aqui. Estava procurando a música de Jorge da Capadócia e parei aqui. Adorei o blog, e me identifiquei com este texto porque também usava a tal calça jeans e camisetas despojadas. Mas nunca tive a bolsa de griffe na época de adolescente nem na época da faculdade. Engraçado que exatamente por todo mundo ter um tênis do momento ( all star e redley na minha época), e a tal bolsa de griffe, eu optei por não ter e contestava tudo isso…acho que eu era uma rebelde procurando uma causa.
    O tempo passou e hoje vejo um all star lá na sapateira e uma ou outra bolsa de griffe me chama atenção nas vitrines. Mas ainda prefiro o que vem do artesanato, do artesão de fundo de quintal. Acho que sou hippie chic ou a eclética…De qualquer forma, antes de procurar um estilo eu procuro ser feliz a cada dia.

  11. Ana Says:

    eu acho o vestido bonito Cris, mas cabelo branco eu acho o fim do mundo, não gosto, e cabelo branco aos 40 anos, tira todo o sex appeal, que já é difícil de manter com o cabelo pintado. Eu via no Canada, muito visual cabelo curto e branco, sem um pingo de maquiagem, um visual freira, um desleixo total, eu até tenho bastante preguiça, mas tento me esforçar, agora o vestido é bonito. Beijocas.

  12. cris s Says:

    Anna Jailma,

    Seja benvinda ao blog! Quanto à questão do estilo quando se é mais jovem, nunca foi a minha intenção contestar algo. Eu apenas achava que tinha um estilo próprio (imagine!). Também nunca tive problemas com grifes: curto algumas, outras não. Adoro artesanato hippie-chic também e tento ser ‘feliz’ do meu jeito, ainda que eu não acredite no discurso fabricada sobre a felicidade.
    bjs

    Ana,
    Eu amei o vestido, o cabelo acho legal na modelo mas eu não estou preparada pra assumir os brancos mesmo. Talvez mais pra frente, mas agora no way!
    beijocas


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: