nossa excursão para a China

Agosto 6, 2009

Tá todo mundo cansado de saber que nós fomos para a China num tour da TravelQuest assistir o Total Eclipse Solar. Compramos o pacote há quase dois anos. E assim também fizeram mais umas 300 pessoas, na sua grande maioria norte-americanos. So far so good. O nosso era o grupo 1C e ficamos confinados às mesmas pessoas do grupo 1C até o final. Todos se surpreeendiam com as identificações dos nossos craxás: “Vocês são brasileiros (olhando para o meu marido)?”; “Nossa, vocês falam inglês sem sotaque no Brasil” (eu olho para o meu marido). Quando estávamos de bom humor, explicávamos que “ó, eu sou brasileira, o meu marido é americano”. Mesmo aqueles que não perguntaram, logo descobriram. “Como é morar no Brasil?” (eu olho pro meu marido). Ele responde para o curioso: “É bom, é bom. É um grande e belo país. Ademais, queremos manter a família unida.” (meu marido e o curioso olham pra mim). Como se tivesse que dar explicação para o curioso, adiciono; “É, fizemos o trajeto ao inverso: eu importei o meu marido!”  meu marido olha e ri de mim e ri da cara do curioso; eu também rio de tudo).  Informações essas estabelecidas, ou seja, marido americano, esposa brasileira, as esposas do tour, me tratavam de uma forma meio engraçada: um misto de curiosidade e estranheza. Diga-se de passagem que eu até entendo a estranheza da mulherada e não estava nem um pouco preocupada. Enquanto não estava tagarelando com o meu marido, ficava lendo sobre as coisas da China. Ou então ficava olhando aquele mundo estranho pela janela do ônibus. Os únicos amigos que fizemos foram o Nicholas e a Charlotte, dois ingleses que moram no País de Gales. Ele repórter de TV e ela trabalha em uma Universidade como pesquisadora (ela é PhD em papel). Eu conheci, também, a Judy, uma jornalista de L.A., só que ela pertencia ao grupo 1D e, portanto, nos encontrávamos rapidamente. De qualquer maneira, não imaginava que iria vivenciar a experiência de una excursão na minha idade. Naturalmente, tudo foi exacerbado pelo fato de encontrarmos multidões de pessoas em cada site que visitamos naquele calor insuportável. E que a noção de ar condicionado em muitos restaurantes da China se parece a de um brando ventilador aqui no Brasil. Que um “iced tea” deveria ser chamado de “warm tea”. Segundo a nossa guia, os chineses acham que qualquer contraste de temperatura faz mal a saúde. Deve até ter seu fundamento, mas num calor de 47C, com uma humidade horrível, você quer mais um vero iced tea e um ar condicionado a mil. Por favor.

É claro que foi tudo muito, muito interessante, mas acho que nunca mais viajaremos com uma excursão novamente.

Pontos Favoráveis (fazendo um esforço a la Polyana)

– fazer vários programos em apenas um dia (jamais organizaria uma viagem desta forma, mas reconheço que tem lá as suas vantagens)

– os guias eram todos chineses e muito bem preparados

– não precisamos nos preocupar com os traslados aeroporto – hotel – aeroporto. Se bem que isso pode ser organizado no hotel facilmente.

– não lembro mais nada! So much for my Polyanna side.

china_travelquest

6 Respostas to “nossa excursão para a China”

  1. Ana Says:

    Cris to rindo aqui da Polyana ! Apesar da chatice de ser excursão me conta como foi o eclipse, como foram as compras e que tal a comida. E até que essas férias prolongadas vieram a calhar pra ti. Beijocas.

    • cris s Says:

      Ana,
      O meu lado poliana é quase inexistente, tenho que confessar! Tô me ensaiando pra contar do eclipse! Depois conto da comida e das compras também. Acho que merecem uns posts haha. As férias prolongadas vão complicar a vida no final do ano, mas parece que a situação da gripe suína tá bem complicada, então é o melhor a se fazer agora.
      beijocas

  2. Edelize Says:

    Um dia queria entender porque certas culturas (anglo-saxã, será?), tem esta atitude de estranheza quando se deparam com estrangeiros/brasileiros. Aqui, sempre sinto este misto de curiosidade e estranheza também. Que será que passa na cabecinha deles?

    E fotos do eclipse? E estou tão curiosa quanto a Ana, compras, comida (e espero que não tenha sido forçada a comer escorpião como aconteceu comigo), pontos turísticos… Ok, deixa eu parar pois está parecendo uma Spanish Inquisition. bjos!

    • cris s Says:

      Edelize,
      É bem interessante mesmo, no minuto que vc fala que é brasileira, o olhar muda e parece que há uma re-avaliação. Acho que é aquele peso que a mulher brasileira carrega por conta dos carnavais e dos postais no Rio de Janeiro. Sei lá, senti que me olhavam como uma gold digger, tipo uma terceiro mundista que casa com um cara pra conseguir uma vida melhor. Quando uma das mulheres ficou sabendo o que eu fazia, ela me olhou com a maior cara de surpresa e só então pudemos conversar de igual pra igual. Enfim, é um processo meio desagradável. Sou poucas as pessoas que te olham além dos estereótipos.

      Eu vou postar as fotos do eclipse. Só não esperem muito, haha. Vou falar também das compras (lembrei de você lá!) e da comida, mas não teve nenhum escorpião!!

      beijos

  3. Raquel Says:

    Cris,

    que saco essa idéia pré-concebida (mulher brasileira/marido americano), hein?

    Eu entendo o seu pavor de excursào. Emendei uma excursão à Turquia com uma à Tunísia (de onde vou embora amanhã). Na Turquia tivemos uns dias livres, só nós, ô coisa boa, e o povo da excursão era ok, aqui na Tunísia… me explica porque acham que você deve ficar uma mísera horinha em um museu com mosaicos de dois séculos antes de Cristo, mas precisa de duas em uma medina fétida, ai, ai, ai.

    Conta mais da China!

    BBjs bjs

    • cris s Says:

      Raquel,

      Nem fale menina, é um saco e sempre acontece.

      Eu queria saber mais da tua viagem. Você foi para dois países interessantíssimos. Eu fui, há milênios, para a Turquia e amei. Nunca fui para a Tunísia, mas imagino que seja bem semelhante ao Marrocos por conta da proximidade.

      Eu tive um xilique em Xiam, cidade dos guerreiros de Terracota. Nos deram apenas 1,5 hrs pra ver tudo. Organizei um motim e ficamos lá mais 1 hora. Quando é pra ver marfim, seda, jade e pérolas sem problemas para a excursão né? Vergonha.

      beijocas


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: